Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Sonho-te

por José, em 08.12.23

Não dizes nada e assisto
A água continua a mover-se
O vento continua a mover-se
A descrença continua a mover-se

Não dizes nada e assim permaneço
O já vivido é uma longínqua prece no pensamento
A terra já revolveu e enlameou o pó
As flores cresceram, encantaram e seguiram caminho

Tudo era ontem, mas não dizes nada
Não tenho mais notícias e recordações
As noites eram apenas por ti e pelo brilho
Agora poderei evitar mesmo o que não tenho

Rodo a forma como andava a esperança
E como no íntimo te julgava amor
Tenho o coração pequeno e o silêncio oblíquo
Sonho-te no poema, mas não dizes nada

José Gomes Ferreira

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:42



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D