Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Nordestinidade

por José, em 28.12.23

Eita! Como o tempo passa
Muita pronúncia repartida
Neste caminho de 8 anos
O que dizer dos olhos claros
E de tanta zoeira no coração
A minha partida não teve idade
E trouxe a saudade agarrada

Oxente! De lealdade avexada
Que não consigo dar vazão
Pediram-me para ir em frente
Para ser cabra arretado
E ignorar qualquer galado
Deixando o povo a mangar
Pois não adianta ficar aperreado

Vixe! Como o tempo passa
Corre como alma sebosa
Por vezes fico ariado
Que fico na solidão
Mas no fim tudo dá certo
O abraço é verdadeiro
Não vai em molecagem
É tão massa a cor do mar
Que me perco na rotatória
Sem saber que é judiação

José Gomes Ferreira

* Algumas palavras uso por improviso, outras são correntes. São já 8 anos desde que deixei Portugal, ainda que sempre ligado. Podia traduzir? Teria de escrever de novo e ficaria diferente. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:43



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D