Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Dias de Inverno

por José, em 05.12.23

A aldeia é cortada pelo vento que sopra da Serra
O relógio da Igreja dá as horas com um laço
O som arrasta-se entre chaminés e some
Sente-se o arrepio até nos ossos imaginados
Nem os gatos vão à missa
O povo fica a bater o dente
O frio chega também aos campos
A camada de geada tem gosto a coração
Quem se atreve vareja a azeitona das oliveiras
Os românticos espreitam a nostalgia da água a correr nos ribeiros
A porta range e o fogão deita fumo
O melhor agasalho é entre paredes
Outrora juntava-se água quente e aguardente para aliviar a tormenta
Não havia tantos medos e tempo para gastar preocupações
Também não havia conforto, a resistência era a fé do povo
Glória amarga a de quem enfrenta privações

José Gomes Ferreira

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:59



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D