Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Amores perfeitos

por José, em 17.02.24

Não tenho espinho nem mágoas
Nem aviões de papel
Não tenho esconderijo de tábuas
Nem jeito para fazer rapel

Nem todo lugar é lar
E nem toda a paixão é relação
Confunde-se amor com ficar
E sentimento com tentação

O amor também chora
E atira-se por vezes no cadafalso
O coração não aguenta a demora
Inseguro acusa o outro de ser falso

Gosto da sorte de um amor tranquilo
Com aroma a café e flores
Sem questionar isto ou aquilo
Um amor baseado no afecto e em valores

Amores perfeitos são plantas tricolores
São uma dádiva da natureza
Já os relacionamentos às cores
Exigem toda a definição e clareza

José Gomes Ferreira

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:49


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónima a 17.02.2024 às 21:33

"Gosto da sorte de um amor tranquilo
Com aroma a café e flores"

Muito bonito o poema!
Imagem de perfil

De José a 17.02.2024 às 21:47

Muito obrigado pelas palavras. Bom fim de semana.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D